10 janeiro 2017

Capela da Srª. da Cividade


Mais uma vez vou voltar à Capela, à Capela da Srª. da Cividade. Esta, talvez, extensa “reportagem” sirva para despertar o interesse de muitos habitantes da Freguesia e não só, porque estou convencido que a maioria já ouviu falar do local mas nunca teve a curiosidade de ir ver o que de lá se pode apreciar.


Cá de baixo parece mais uma “coisa” enfiada no meio da vegetação, mas se ”abrirmos” mais o olho podemos observar já algo com algumas características invulgares para o local.
Confesso que nunca entrei dentro da Capela, não por ser contra mas porque habitualmente, e bem, ela se encontra fechada, mas o que me leva de tempos a tempos a subir a ladeira é a magnífica paisagem, um sabor a Paraíso.

As fotos que seguem foram tiradas numa das minhas visitas em 2007 e aí senti o prazer duma bela paisagem num ambiente de Eremita.




 Á esquerda ou à direita temos uma visão ampla da nossa pequenez perante uma luxuriante paisagem.

O Torrão, Várzea do Douro e muito mais a perder de vista.




Aqui à direita a nova ponte, a variante que tornou os nossos vizinhos de Castelo de Paiva mais "distantes" desta nossa terra, mas mais próximos doutras terras a Norte.







Lá ao longe Rio de Moinhos e as serras longínquas, talvez o Marão.




E se o nosso olhar se "aprofundar"
o Torrão no seu casario variado e brilhante que nos convida a um...












 ...passeio rio acima ou rio abaixo.



O Torrão na sua "fantasia" de "cidade" nova presenteia-nos no seu alcantilado casario com uma visão impossível.

 Mais à esquerda com a Ponte Duarte Pacheco, como que envergonhada de tanta grandeza, esconde-se na vegetação luxuriante.

Os nossos vizinhos de Várzea do Douro também não serão esquecidos deste nosso passeio.

Para finalizar este passeio pergunto às gentes da minha terra:

Estarão dispostos a aceitar a conspurcação deste local?

Sem comentários:

Enviar um comentário

As Minhas Férias

- Há quem goste de passar férias na praia e esticar-se nas areias Algarvias, vá de "vela" para paragens longínquas e ainda quem n...