13 novembro 2006

Penafiel Antigamente (1)

A primeira foto faz parte de uma colecção de nove Postais publicados no Blog Antigamente sobre Penafiel e que o Marco Oliveira amàvelmente me autorizou a publicar.
Procuro comparar o Antigamente com o actual, mas é difícil à distância de quase 100 anos.

11 novembro 2006

Câmara Municipal de Penafiel - O Oportunismo

A Câmara de Penafiel resolveu mostrar aos seus Munícipes a sua verdadeira face:

Oportunismo institucional



A quantia que me é extorquida trimestralmente com ameaças de ir para o Inferno se não pagar não me faz falta, são apenas, para mim, cerca de 10€. Mas para quantos essa quantia é significativa?

A estória:

A C.M.P. resolveu taxar todos os agregados familiares do Concelho com a taxa do lixo, pomposamente denominada de “resíduos urbanos” . Essa taxa é acrescentada à factura da água. Quem não tiver fornecimento de água tem de ir a qualquer lado, de três em três meses, pagar a quantia de €9,45.

Na zona onde resido o carro do Lixo (resíduos urbanos – ainda por cima com erro de grafia) só passa pela estrada principal. No meu caso a mais de 200 metros. Se me quero desfazer do lixo no caixote tenho de calcorrear essa distância. Mas eu até nem tenho muita razão de queixa, o terreno é plano e é até uma boa desculpa para um pouco de exercício.

Por trás de mim existem várias habitações alcandoradas no monte que sobe... sobe... e ficam a 500 metros e mais e em que alguns dos Munícipes têm idades avançadas. “Tá-se” a ver não “tá” para onde vai o lixo da Câmara?.

Sendo o Concelho de Penafiel um concelho eminentemente rural imagine-se a quantidade de situações como esta.

Meio Portugal contesta o Governo, neste caso mais de metade dos Penafidelenses têm razão para contestar a Câmara. Espero que da próxima vez os eleitores tenham intuição para um executivo mais atento às realidades do Concelho.

07 novembro 2006

Mosteiro de Alpendurada


O Mosteiro de Alpendurada a dois quilómetros do centro da Vila, a poucos minutos de Entre-os-Rios e a uns vinte minutos da sede do concelho, Marco de Canavezes, é uma excelente opção para um passeio dominical.

"Travestido" turísticamente e com uma vista sobre o Rio Douro magnífica é o exemplo do que muito se pode fazer por este país fora.

Este post é também uma homenagem ao meu visitante do Marco.

29 outubro 2006

Poção Mágica

Numa das minhas incursões pelas redondezas encontrei-me na Calçada.
Desde a última vez que fiz um passeio pela estrada que passa por Valpedre em direcção ao Pinheiro (Terma de S. Vicente), já haviam passado uns anos largos.

Surpresa minha pela actual estrada quando a comparei com o empedrado (?) de outros tempos. Algum Santo deve ter sido picado!

Recordei o tempo que o meu pai, algumas dezenas de anos atrás, me levou a ver as ruínas Romanas, como eram conhecidas, no monte Mozinho.
Foi um passeio um pouco "chato" para um miúdo, mas lá fui num carro de bois emprestado por amigo local ver umas pedras cobertas de mato. Foi a imagem que me ficou por muitos anos.


Desta vez sempre tinha um quatro rodas com cem cavalos e vai daí aventurei-me a actualizar a visita.

Tudo diferente e o quatro rodas foi mesmo até ao local.

Para surpresa minha a primeira coisa que encontrei foi uma lata de "Poção Mágica" do meu personagem favorito de antanho, Asterix.
Depois de bem avaliada a prova não havia dúvidas. Ali estava ela.

........................ ..................... .............................. ............................
O que encontrei foi uma surpresa muito agradável.

Um Castro enorme, para a época, e posto a nú com muita qualidade e estranhamente muito bem conservado e limpo.


Lamentei apenas que no local não se encontrasse ninguém que pudesse dar algumas explicações sobre o mesmo.

Aqui sugeria que a C. M. de Penafiel, para além de promover turisticamente o local, propiciasse a alguns estudantes, devidamente preparados e a troco de uns Euros, a sua presênça aos fins de semana para acompanharem os visitantes.

Se queremos dinamizar a nossa região temos de fazer alguma coisa por isso.

24 setembro 2006

7 Meses ? Vamos Acreditar

Finalmente alguém se lembrou que o Concelho de Penafiel não é só a Cidade e que a mesma pode beneficiar muito com alguma atenção sobre as Freguesias mais afastadas.
Como antes disse, esta terra pode ser uma porta de entrada de muitos visitantes do Concelho com os benefícios daí decorrentes.
Quantas vezes lamentei ver o tráfego fluvial carregado de "nota" passar ao largo sem ter local para acostar e a partir daí visitar os locais maravilha que se podem visitar por todo o Concelho.
Todo o Concelho está recheado de Monumentos Históricos, alguns dos quais com relevância cultural e histórica significativa, sem falar nos largos vestígios Arqueológicos espalhados e abandonados por todo o Concelho.
É pena que a Câmara Municipal de Penafiel nunca tenha tido o Pelouro da Cultura. É que se o teve gostaria de saber quem foram os "nabos".

A Caminho do Futuro

As obras da Via Rápida deixaram a encosta de Entre-os-Rios descarnada e com um aspecto nada simpático. Mas como diz o povo, o tempo cura as feridas, esperemos que a "patine" seja rápida e eficaz e esconda os sinais do progresso.

Entretanto na zona ribeirinha prepara-se uma remodelação que só peca por muito tardia.
Muitas das visitas desta terra tecem os mais variados elogios a este magnífico encontro da Natureza com o Homem, mas como sempre, são os da casa que menosprezam as suas potencialidades. Que tem feito a Autarquia de Penafiel por esta terra, desde tempos imemoriais até hoje?
Só uma cegueira completa não permitiu que percebessem que aqui poderia estar a porta de entrada, para todo o Concelho, do Turísmo Duriense.



A Natureza é pródiga quando amada. Espero que estes Patos Bravos que vagueiam pela foz do Rio Tâmega continuem a dar-nos o gosto e o prazer da sua presênça.

22 setembro 2006

Entre-os-Rios - Verão 2006





Algumas destas imagens deixarão, dentro de algum tempo, de ser as mesmas.
Segundo as minhas fontes, começaram as obras para a remodelação da zona ribeirinha.
Como hábito delas darei aqui conta.

07 agosto 2006

2004 - A Reconstrução

(Click na imagem para aumentar)


Um destes dias fiz o trajecto de S. Sebastião até à nova ponte, foram 800 metros, um pulinho alternativo ao velho caminho. Foram 3 anos de obras que se compreendem pelas dificuldades do terreno mas que não explicam tudo.
Quem vem do Porto pela marginal não tem acesso à variante, tem de seguir pelo velho percurso. Dizem as "línguas" da terra que para não prejudicar o comércio local - Que comércio ?
Há razões que a razão desconhece!

05 agosto 2006

2003 - A Reconstrução

A reconstrução da velha ponte Hintze Ribeiro ficou prácticamente pronta em 2002 e começaram as obras da nova Hintze Ribeiro. (Nunca percebi muito bem porque ficou com o mesmo nome, talvez os remorços dos políticos que nunca fizeram nada por regiões com menos capacidade reivindicativa lhes tenha retirado a vontade de dar outro nome, a par da reivindicação muda dos corpos ali "enterrados").
Ao mesmo tempo começavam os desaterros para as vias de acesso que haveriam de facilitar a construção da via rápida desde o Lugar de S. Sebastião em Entre-os-Rios até à foz do Rio Paiva.




02 agosto 2006

2002 - A Reconstrução (2)




(Para ver em tamanho maior click na imagem)

Dadas as minhas visitas semanais a Entre-os-Rios e gozando de uma panorâmica excepcional sobre a confluência do Rio Douro e Tâmega, foi-me possível seguir todos os passos da reconstrução da "Ponte de Ferro" e da sua "partenaire" bem assim dos acessos agora concluídos.
Os "banners" de fotos aqui colocados reflectem uma pequeníssima amostra das fotos que fui armazenando ao longo destes anos. Algumas são razoáveis outras menos, não quiz no entanto deixar de mostrar a quem esteja interessado e não teve oportunidade de seguir esta obra, de ter uma imagem da mesma.
Se algum dos meus visitantes estiver interessado em alguma foto em particular basta uma descrição mais ou menos permonorizada e ser-lhe-há enviada uma foto a condizer.

31 julho 2006

2002 - A Reconstrução




Tendo em conta que as populações do concelho de Castelo de Paiva, apesar de administrativamente pertencerem ao Distrito de Aveiro, estarem profundamente ligadas ao Distrito do Porto e a Entre-os-Rios na outra margem do rio, a queda da Ponte Hintze Ribeiro trazia assim um transtorno muito grande.
A reconstrução da velha ponte começou de imediato.
Mas a verdadeira razão esteve na grande pressão exercida pelos responsáveis autárquicos e sobre tudo pela opinião pública desagradada com o proverbial "deixa andar político".

24 julho 2006

Entre-os-Rios 2006

Entre-os-Rios na Foz do Tâmega. Foto obtida da Capela do Senhor dos Remédios em Rio de Moínhos

A nova Via Rápida já funciona. Aqui em direcção ao novo Quartel dos Bombeiros

Vista da Via Rápida em direcção à nova ponte sobre o Douro e rumo a Castelo de Paiva

21 julho 2006

Ponte Hintze Ribeiro

A velha Ponte de Ferro, meses antes de soçobrar

Vista parcial do cais do Torrão e a nova Ponte

Vista do Rio Douro e lugar de Sardoura no Concelho de C. de Paiva e a nova ponte que esconde a velha Ponte de Ferro

15 julho 2006

Anos 70 - Entre Douro e Tâmega

Aqui se uniam o Douro e o Tâmega. Imaginem só um Verão passado em Entre-os-Rios

Entre-os-Rios visto do Cais(!) do Torrão
De fazer inveja a muitas praias marítimas

Para que conste e fique na memória

Ao fundo o Rio Douro e a velha ponte de Ferro. Quantos sabiam na altura o seu verdadeiro nome? Foi necessário um acidente de gravidade extrema. Há quantos anos se falava que aquela coisa "qualquer dia vem abaixo"?

Era lindo, não era? Mas o progresso...

“SOU DA RUA” – Para memória futura

- 2017-07-29 - Nesta data e como constava no convite, realizou-se o IV Convívio Sou da Rua. Por imponderáveis não me f...